• Global
  • Video
  • Gallery
  • World News
  • Sports
  • Navigation

    Raça e empenho que as meninas do Caucaia passaram por cima do Viana-MA

    Foi com autoridade, raça e empenho que as meninas do Caucaia passaram por cima do Viana-MA por 3 a 0 na noite desta quarta (1) no estádio Antonio Cruz em Fortaleza, pulando da lanterna do grupo 4 para vice-líder do Campeonato Brasileiro Feminino. O resultado foi expressivo no campo de jogo, mas fora dele a falta de empenho pelo futebol feminino continua, antes do reinício de partida, no segundo tempo, houve um atraso de 36 minutos por falta de ambulância. A única que estava à disposição, teve que levar uma atleta do Viana ao hospital por conta de uma lesão sofrida no campo de jogo.
    Era jogo que valia a vida do Caucaia no Brasileiro Feminino. As únicas representantes cearenses na competição estavam na lanterna do grupo com um ponto conquistado em duas partidas. O grupo possui cinco equipes e turno único, ou seja, apenas quatro jogos para definir os dois classificados para próxima fase. A equipe maranhense era quarta colocada, com um ponto e saldo menos um, igual ao tricolor metropolitano, mas levando vantagem nos gols marcados, quatro contra um. 

    RAPOSA METROPOLITANA X LEÃO DA BAIXADA


    O empate desinteressava e a vitória era o critério máximo a ser adotado pelas duas equipes. Como de hábito, muita vontade e raça pela sobrevivência, mas faltava, para não fugir a regra, a técnica. Aliás, para louvar a justiça, existiram dois "motorzinhos" que deram brilho a partida.

    O jogo começou truncado, perde e ganha no meio e sem sequências de jogadas, mas isso, nos 10 minutos inicias, talvez o nervosismo tenha ocasionado esse efeito nas meninas. Na primeira jogada "trabalhada", aos 12 minutos, com falha da defesa, o Viana assustou dentro da grande área, chute à queima roupa, mas a goleira cearense Edléia salvou, e parou aí. 

    As meninas da raposa comandaram no primeiro tempo, contando com o "apoio" da defesa adversário, duas chances claras de gol. Em alguns ataques precipitava passes pelo meio ou carregavam demais a bola. A equipe usava muito o apoio das laterais, se transformando em alas. Em uma dessas subidas pelo lado direito, Fafá Arruda roubou a bola na linha de fundo e cruzou na medida para um dos "motorzinhos" da equipe abrir o placar, Milla 1 a 0. A superioridade continuou, o outro "motorzinho" da equipe era a lateral esquerda Valeska, carinhosamente chamada de Bebê.

    A pressão continuou e aos 46 minutos do primeiro o Caucaia ampliou o placar, 2 a 0 com Rhayanna e bela assistência de Milla. A equipe cearense ia para o intervalo ganhando não apenas o jogo, mas a tal sobrevivência para continuar buscando a classificação

    Segundo tempo e Milla "motorzinho" definiu

    O leão da baixada, no caso as leoas, tentaram mudar o panorama da partida tentando o ataque, mas sem organização na triangulação das jogadas e esbarrando na boa marcação do Caucaia, ficou difícil reverter a situação. A raposa logo tomou controle da partida, fechando a conta mais uma vez com ela, Milla "motorzinho", 3 a 0 Caucaia, alívio e vice-liderança conquistada. 

     - Treinamos muito e focamos totalmente na vitória para sair abençoado de campo. Estávamos muito empenhadas para conseguir a vitória, foi difícil, mesmo um pouquinho machucada deu tudo certo - conta timidamente a atacante Milla, destaque do Caucaia no jogo com dois gols e uma assistência

    Com a vitória, se fosse Fórmula-1, poderia ser dita que foi conquistada de ponta a ponta, o Caucaia assumiu o segundo lugar com quatro pontos e saldo positivo dois. O Pinheirense-PA, próximo adversário das cearenses, no próximo sábado (4) às 15h30 em Belém, é líder absoluto com nove pontos. Para conseguir a classificação, basta empatar e torcer para o Iranduba-AM que vem logo atrás com a mesma pontuação (4 pontos) e saldo negativo menos quatro, não vencer sua parida diante do Viana no Maranhão.

    BOA VONTADE PELOS "DESCUIDADOS"

    Dessa vez não foi a falta de água para os árbitros ou a placa de substituição, após o registro do globoesporte.com na partida de estreia do Caucaia na competição diante do Náutico-PE, tudo isso foi resolvido. Mas a falta de empenho com o futebol feminino continuou na vitória diante do Viana.

     - O erro grande começa com as nossas federações, olha só o campo que jogamos aqui. A gente tenta melhorar, não vou culpar totalmente a CBF, mas ela deveria olhar melhor para essas competições, já que ela teve a iniciativa de começar o Brasileiro Feminino - declarou o técnico do Caucaia, Helder Melo

    Após o término do primeiro tempo, a única ambulância disponível para o jogo teve que sair com a jogadora Thaisa do Viana para o hospital, após contusão durante a etapa inicial. Após o intervalo normal, de quinze minutos, houve um tempo extra de espera, alongando o "recreio" das atletas para 36 minutos. 

    O Regulamento Geral de Competições não cita quantidade de ambulâncias a serem utilizadas no jogo. Apenas diz da necessidade delas para que seja realizada a partida. No entanto, segundo o regulamento do próprio Brasileiro Feminino, o clube mandante é quem tem responsabilidade em providenciar a ambulância equipada para partida, assim como bancará as despesas. Por isso, as reclamações do Caucaia sobre a presença de um único veículo recaem sobre o próprio time.

    Via G1

    Share
    Banner

    Deixe seu comentário