Navigation

Tricolor Paulista reforça o São José para o segundo semestre

Volante Djeni acertou com o São José para
o restante da temporada (Foto: Fabricio Crepaldi)
Terminado o primeiro semestre, o São José volta as atenções para as competições da segunda metade do ano, onde disputará Campeonato Brasileiro, Libertadores e a reta final do Paulista. Pensando nisso, a equipe foi ao mercado e trouxe duas jogadoras que foram campeãs da Copa do Brasil com o Kindermann-SC e estavam no São Paulo: a volante Djeni e a meia Samya. As duas atletas são as únicas novidades no time, que faturou a medalha de ouro nos Jogos Regionais, no início do mês, em Taubaté.
O coordenador técnico da equipe, Gustavo Assad, porém, espera contar com reforços de jogadoras que estão integrando a "seleção permanente", que se prepara visando as Olimpíadas de 2016, na qual o São José cedeu quatro atletas (Bruna Benites, Formiga, Francielle e Rosana), logo no início do ano, após a conquista da Libertadores e do Mundial, em 2014.

– No momento, não temos nenhuma outra contratação em vista. Existe a possibilidade também de algumas jogadoras que estão com a Seleção voltarem para reforçarem os clubes durante o Brasileiro. É uma possibilidade que a CBF está avaliando e estamos atento a isso. Mas tudo vai depender de nossos recursos e da necessidade do time. Eu até sugiro que faça um draft para que seja algo mais justo, caso isso aconteça – ressaltou o dirigente, por telefone.

A temporada começou com desconfiança sobre o futuro do São José, que perdeu boa base da equipe. As Meninas da Águia foram eliminadas ainda nas quartas de final da Copa do Brasil, fez um início de Campeonato Paulista irregular, mas depois se firmou e terminou na vice-liderança do Grupo 2 do estadual e com uma sequência invicta de nove jogos. Pela competição, a equipe voltará a campo em 1º de agosto, diante da Ferroviária, fora de casa, pelo jogo de ida das quartas de final do torneio.

– A gente sabia que a adaptação seria difícil no início e as adversarias iriam se reforçar. É um período natural das coisas. Depois o time ganhou confiança, melhorou a campanha e só teve um empate após perder duas seguidas no Paulista. Agora é um novo campeonato, começa tudo do zero. Vamos entrar para brigar pelo titulo – disse.

O futebol feminino está em um período de evidência com a disputa Mundial, Jogos Pan-Americanos e o clima pré-olímpico. Para Assad, os clubes têm sentido algum efeito dessa exposição da modalidade.

– Estamos sentindo uma diferença, de alguma forma. Existem pessoas que querem contribuir e mudar as coisas. Aconteceu o seminário CBF, terá cursos para treinadores... É um trabalho árduo. Vamos torcer para que tudo dê certo e que esse ciclo olímpico possa ter legado – disse.

* Felipe Kyoshy colaborou
Via g1
Compar.
Banner

Comente: