• Global
  • Video
  • Gallery
  • World News
  • Sports
  • Navigation

    São Raimundo é tetracampeão do Estadual Feminino

    Foto: Lucas Luckezie
    O São Raimundo deu um verdadeiro passeio pelo estádio Ribeirão, neste domingo à noite, ao atropelar o Rio Negro, por 14 a 1, e sagrar-se tetracampeão roraimense feminino de 2015. Indianara (cinco), Erika (quatro), Bia (dois), Alexandra, Aline e Nathamy marcaram para o Mundão, que, com seis pontos, conquistados com duas vitórias em duas partidas, vai representar o Estado na Copa do Brasil de 2016.

    Derrotado, o Galo Carijó fechou em terceiro, sem pontuar. O Atlético Roraima foi o vice-campeão, com três pontos, e garantiu vaga no Campeonato Brasileiro do próximo ano.

    Melhor objetividade, pontaria, passe e tranquilidade foram os principais fatores que contribuíram para a fácil vitória do Mundão, que poderia ter balançado ainda mais a rede, se não fossem os dez minutos a menos que o tempo total de jogo da competição masculina, e os erros de posicionamento que contribuíram para a marcação de vários impedimentos da equipe alviazulina.

    O Rio Negro, por sua vez, mostrou uma reação incipiente, e participação praticamente nula dentro de campo. Para se ter uma ideia, seu único gol marcado foi sua única finalização, e a equipe praticamente não ultrapassou além do meio-campo.

    O São Raimundo abriu a goleada aos 7 minutos do primeiro tempo. Indianara cruzou da direita e Bia cabeceou e encobriu a goleira Danielly. Dois minutos depois, Bia marcou de novo, ao pegar na ponta direita e fuzilar para a rede.

    Aos 18, Indianara marcou o terceiro. Apesar de pouco tempo de bola rolando, o cansaço e a falta de ritmo já prejudicavam ambos os times. O Rio Negro fez a primeira alteração, trocou 3 por 15. Mas nada evitou quatro gols do São Raimundo, em quatro minutos. Indianara fez o quarto, aos 22, Erika marcou o quinto, aos 23, e Alexandra anotou o sexto, aos 25.

    Aos 26, Alexandra deu um longo lançamento do meio do campo, Erika recebeu dentro da área, e mandou de bico para a rede. Quatro minutos depois, seria o oitavo, marcado por Bia, que entrou com bola no gol, mas ela estava em posição de impedimento. Mas o 8 a 0 veio aos 38: Bia tocou para Indianara, que chutou a bola em cima da goleira Danielly, e, no rebote, insistiu e mandou para a rede.

    Com a tranquilidade do jogo, o tempo foi encerrado aos 39, um minuto antes do término previsto.

    Na etapa final, o Rio Negro iniciou um pouco melhor, mas logo se viu derrotado pelo cansaço. Apesar disso, diminuiu o placar aos 2 minutos, ao marcar, com Vandria, o gol mais bonito do jogo, através de uma linda cobrança de falta de longa distância.

    Mas o passeio do Mundão continuou: aos 12, Nathamy fez o nono; aos 13, Indianara marcou o décimo, e aos 16, a mesma jogadora anotou o décimo primeiro. O placar analógico do estádio Ribeirão permaneceu inalterado, pois não suportava tantos números.

    Aos 28 minutos, sem ritmo e derrotado pelo cansaço, o Rio Negro entregou o jogo: a quantidade de atletas lesionadas era maior que o número de reservas - quatro contra três. Desta forma, com quatro jogadoras a menos, a equipe alvinegra viu o Mundão fazer mais três gols, em quatro minutos.

    Aos 28, Bia tocou na direita para a atacante Erika, que cortou a marcadora pela esquerda e fuzilou para a rede. No minuto seguinte, Erika avançou, tocou na direita para Aline, que só empurrou para o gol. E aos 31, Erika ficou cara a cara com a goleira Danielly, chutou forte, a arqueira ainda espalmou, mas não evitou que a atacante fizesse, no rebote, o décimo quarto tento da vitória e do título do Mundão.

    Faltando seis minutos para o fim, aos 34, o árbitro Yungo Paiva encerrou a partida, porque Emilia, do Rio Negro, sentiu a coxa, deixou o campo, e o time alvinegro ficou com apenas seis atletas, número menor que o permitido. Com o apito, o Mundão cantou: “tricampeão, tricampeão, tricampeão...”, já que são três anos consecutivos de títulos estaduais.

    Via folhabv
    Share
    Banner

    Deixe seu comentário