• Global
  • Video
  • Gallery
  • World News
  • Sports
  • Navigation

    Infantino assume a FIFA dando destaque ao futebol feminino

    Foto: ARND WIEGMANN/REUTERS
    Líder da FIFA diz que há potencial de crescimento no futebol das mulheres

    O presidente da FIFA, Gianni Infantino, assegurou esta segunda-feira que o futebol feminino "é uma prioridade" e instou a comunidade futebolística a aumentar a presença da mulher em lugares de decisão para assegurar o futuro da modalidade.

    Infantino, que assumiu a presidência no passado dia 26 de fevereiro, falava durante a segunda conferência sobre "futebol feminino e liderança" que decorreu na sede da FIFA em Zurique, na qual se referiu às reformas aprovadas como a incorporação de, pelo menos, seis mulheres no novo conselho que substituirá o comité executivo.

    "É um mínimo de seis, mas deviam ser mais. Devemos olhar para todos os comités. O futebol feminino e a mulher no futebol são uma prioridade, são parte da solução para o futuro deste desporto. Devemos colocar objetivos ambiciosos e ver até onde nos levam", disse Infantino, de acordo com o teor de um comunicado publicada pela FIFA.

    A Conferência anual da FIFA sobre "Futebol Feminino e Liderança" coincidiu com o Dia Internacional da Mulher e pretende ser uma plataforma de debate sobre como melhorar a organização e o apoio às mulheres no futebol.

    "Este é um símbolo do que queremos obter no futuro", acrescentou Infantino durante a sessão, na qual foram abordados três áreas, o desenvolvimento do futebol feminino, a liderança da mulher e as reformas.

    Entre as presentes estavam a ex-tenista Billie Jean King, a ex-futebolista dos Estados Unidos Abby Wambach e a membro do Comité Executivo da FIFA, Moya Dodd, que pediu uma estratégia comercial para o futebol feminino.

    "Há muito mais potencial de crescimento no futebol feminino do que no masculino. A FIFA deve reconhecê-lo", disse Wambach, para quem este organismo deve catalogar o futebol feminino como "prioritário", enquanto Billie Jean King solicitou uma nova secretaria geral que apoie a "igualdade de género".
    Share
    Banner

    Deixe seu comentário