• Global
  • Video
  • Gallery
  • World News
  • Sports
  • Navigation

    11 DE SETEMBRO DIA DA ÁRBITRA

    O árbitro (a) (no Brasil também chamado de juiz) é o indivíduo responsável por fazer cumprir as regras, o regulamento e o espírito do jogo ou desporto, ao qual estão submetidos, e intervir sempre que necessário, no caso quando uma regra é violada ou algo incomum ocorre (Wikipedia).

    A exemplo de outras atividades, o árbitro (a) esportivo também tem sua data comemorativa. O dia 11 de setembro é consagrado para homenagear a categoria.  O “Dia do Árbitro Esportivo” está regulamentado na Lei Nº 14.485, de 19 de julho de 2007, válida para o calendário de eventos da cidade de São Paulo.

    Embora não exista registro de uma Lei mais abrangente, o fato é que o 11 de setembro acabou se tornando a data oficial do árbitro no Brasil. A ANAF aproveita o Dia do Árbitro Esportivo para parabenizar a classe e reitera seu objetivo de continuar lutando por conquistas e valorização da profissão.

    MENSAGEM

    Hoje temos um bom motivo,

    É dia do Árbitro Esportivo.

    Comemoração de verdade

    Para qualquer modalidade.



    Pedimos a todo esportista

    Que tenha espírito pacifista.

    Quando o árbitro errar,

    A paciência tenha lugar.



    Nenhum juiz é perfeito,

    Ao erro está sujeito

    Na hora do julgamento.



    Sofrendo imensa pressão,

    Ele toma uma decisão

    Numa fração de momento.



    ORAÇÃO DO ÁRBITRO (A)



    “Senhor! Abençoai a minha difícil missão. Fazei com que eu seja um comandante verdadeiro a serviço do esporte, da dignidade e do talento.

    Dai-me coragem para trabalhar, paciência para pensar, humildade para me aperfeiçoar, sabedoria para interpretar com imparcialidade as leis e agir.

    Tu, que escolhestes DEUS e dos Árbitros do mundo inteiro, aumentai a minha fé para que eu possa atuar com equilíbrio à luz da verdade. Na constante missão de arbitrar, inspirai-me para que eu seja sincero a todos: colegas, atletas, técnicos e dirigentes.

    Vós sabeis, ó Mestre! Que minhas forças não são suficientes, mas com a vossa ajuda serei forte, no ato de julgar, servindo com amor e alegria, em respeito ao espírito do jogo.

    Enfim, quero exaltar as vitórias e êxitos alcançados e agradecer-vos pela escolha que me confiastes com segurança, firmeza e honestidade para aplicar as regras.” 

    FONTE:  ESPORTE TOTAL (Geovane Luis da Silva, de Brasília, e texto da árbitra de Santa Catarina, Daine Madeira)
    Share
    Banner

    Deixe seu comentário