Navigation

ARBITRAGEM FEMININA NA TAÇA ENCANTADO

Arbitragem Taça Encantado  Foto: Ricardo Moura
A empresa Chip Sul e Arbitragem em Foco News seguem o trabalho de apoiar e investir no aprimoramento da mulher na função de árbitro e árbitro assistente,  excluídas do futebol por longos anos, discriminadas, hoje elas tem gigantesco caminho a percorrer para recuperar o tempo perdido.

Sob a coordenação de Luiz Carlos Boaro, seis árbitras comandaram as partidas da 3ª Taça Encantado de Futebol Feminino, as partidas foram realizadas nos dias 6, 7 e 8 de abril, o palco foi o estádio do Encantado.

A competição foi dividida em duas categorias, na sub-18 participaram as equipes do Chapecoense, ADERGS, Criciúma no grupo “A”, no grupo “B” jogam as equipes do Internacional, ADELL e Palestra, algumas atletas campeãs Sul-Americanas com a Seleção Brasileira estiveram em Encantado. 

Já a categoria Adulta tivemos pelo grupo “A” as equipes da Chapecoense, Palestra, SAFF, e Kindermann, no grupo “B” Internacional, Santa Cruz, A.E.F e Criciúma.

Estefani teve boa atuação Foto: Ricardo Moura
O primeiro destaque entre as árbitras foi o de Estefani Estrela , ela aproveitou a oportunidade e atuou várias partidas como árbitra principal, fez bonito e soube comandar o espetáculo, Estefani tem uma excelente experiencia como árbitra assistente e foi uma grata surpresa com uma arbitragem de qualidade.

A grande final da competição na categoria adulta, levou para campo duas grandes equipes, de um lado a equipe do Kindermann  da cidade de Caçador em Santa Catarina, com títulos nacionais vai disputar a série A-1 do Campeonato Brasileiro Feminino de 2018, do outro lado a equipe do Internacional, as gurias coloradas apresentam um extraordinário resultado com pouco tempo de trabalho, campeãs gaúchas disputam a série A-2 do Brasileiro Feminino.
Pâmela arbitrou de forma tranquila a excelente partida Foto: Ricardo Moura

A árbitra Pâmela Joras, foi a responsável por comandar a partida final da categoria Adulta, com graduação em Educação Física pela Universidade Federal de Santa Maria - UFSM, especialização em Educação Física Escolar pela UFSM e mestrado em Ciências do Movimento Humano pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS . Atualmente é integrante do Grupo de Estudos Sobre Esporte, Cultura e História e integrante da equipe do Centro de Memória do Esporte - ESEFID/UFRGS. Tem experiência na área de Educação Física, com ênfase em Educação Física e relações de gênero, mulheres e esporte, Educação Física Escolar, e Futsal/Futebol de mulheres. Além é claro muita rodagem na arbitragem feminina gaúcha, ela foi a primeira mulher que atuou na função no estádio Beira-Rio.

Na partida final Pâmela atuou  com segurança, priorizou a integridade física das atletas devido ao excesso de jogos, marcou uma penalidade , do seu lado as assistentes Estefani Estrela e Tais Ruver, completando o quinteto as árbitras reservas Mariana Caetano e Renata Schaefer .

Compar.
Banner

Comente: